Complexo Cultural em São Gonçalo leva o Prêmio Grandjean de Montigny do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio. Projeto de aluna da PUC/RJ, Juliana Nunes, se destacou por ter a melhor combinação entre arquitetura, urbanismo e paisagismo
Juliana Nunes

Juliana Nunes, aluna da PUC/RJ

O projeto de conclusão de curso de Juliana Nunes, aluna da PUC-Rio, foi vencedor no II Prêmio Grandjean de Montigny cujo prêmio é uma viagem de dez dias para Lisboa, em Portugal, com despesas pagas pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio (CAU/RJ). Segundo a comissão julgadora, composta pelos arquitetos Tânia Chuéke, Jayme Zéttel e Demetre Anastassakis, a proposta de criação do complexo cultural de Alcântara, tendo uma biblioteca como catalizador de mudanças sociais e urbanas em São Gonçalo, apresentou a melhor combinação entre arquitetura, urbanismo e paisagismo.

Os outros dois projetos que concorreram ao Grandjean de Montigny foram: “Plataforma urbana em Deodoro”, de Douglas Azevedo Pestana, aluno da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); e “Plano de desenvolvimento local de Morro Azul”, de Fernando Bonini, da Universidade Santa Úrsula. Assim como em 2016, concorreram ao prêmio do CAU/RJ os trabalhos finais de graduação vencedores do Prêmio Arquiteto do Amanhã, promovido pelo Departamento Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ).

“O desenvolvimento desse trabalho foi uma excelente oportunidade para abrir o debate sobre a necessidade de trabalhar áreas esquecidas e implantar equipamentos culturais. Com a ajuda da minha orientadora, fiz um levantamento detalhado da região metropolitana. A demanda de equipamentos culturais como o proposto é mais urgente em Alcântara, sendo que no Rio e em Niterói, por exemplo, já tinha a demanda atendida”, explicou Juliana. O projeto engloba biblioteca e a recuperação da faixa marginal do Rio Alcântara, com parque linear, integrado ao metrô da linha três, que não saiu ainda do papel. O estudo de viabilidade econômica prevê também a locação de salas comerciais.

O objetivo da premiação é justamente contribuir para o desenvolvimento da profissão”, disse o presidente do CAU/RJ, Jerônimo de Moraes. A vice-presidente de relações socioculturais do IAB-RJ, Cêça Guimaraens, destacou o orgulho de realizar esse trabalho em conjunto pela segunda vez. “Os dois prêmios demonstram que a qualidade das produções é crescente. Mesmo num momento difícil para as instituições de ensino superior, em especial à Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), que vivem situações críticas e de infraestrutura sucateada, as produções conseguem se sobrepor”, destacou Cêça.

Serviço:
Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio (CAU/RJ)
(21) 3916-3925
http://www.caurj.gov.br/


<<Voltar